Archive for junho \16\UTC 2011

Gratuidade da sintaxe

16/06/2011

O site Media Books, em uma tentativa de popularizar os ebooks, vem disponibilizando regularmente livros digitais gratuitos através de seu site. A promoção da vez apresenta especial interesse para os interessados em linguística pois, dentre os livros ofertados nessa semana, encontra-se uma introdução à sintaxe do Português europeu escrita pelo professor André Eliseu da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Trata-se de um volume de uma coleção relativamente recente lançada pela editora portuguesa Caminho (assaz assídua na publicação de livros na área de linguística) que se intitula “O Essencial sobre Língua Portuguesa” sob a direção de Maria Helena Mira Mateus. A coleção, mais ou menos nos moldes da “série Princípios” da Editora Ática ou da coleção “Primeiros Passos” da Editora Brasileiense, já publicou volumes que versam sobre variados temas de interesse para o estudioso da língua tais como crioulos de base portuguesa, pragmática lingüística ou jornalismo lingüístico. Trata-se, obviamente, de um livrinho de introdução, mas o lingüista brasileiro mais experimentado poderá, quiçá, travar conhecimento com algum aspecto da sintaxe da variedade europeia da língua que ainda não lhe seja familiar.

Não há informações relativas à duração da promoção, então recomendo que se faça o download imediatamente, pois outros livros ofertados anteriormente já deixaram de ser gratuitos. Por se tratar de um livro com GDD, cada cópia só poderá ser acessada pelo usuário que a baixar e não poderá ser distribuída.

Seguem abaixo, a sinopse do livro e o link para o site da Media Books.

SINOPSE

A sintaxe é o conjunto de regras estruturais que torna possível associar som e significado. A sintaxe ocupa, assim, o lugar central na arquitectura da gramática das línguas naturais e o seu estudo constitui um dos campos em que o avanço da linguística foi particularmente significativo nos últimos cinquenta anos. Sintaxe do Português pretende introduzir conceitos fundamentais de análise sintáctica e apresentar algumas das propriedades que caracterízam a sintaxe do Português Europeu, a partir da descrição quer das suas construções básicas quer de estruturas que são típicas desta língua.

Link para a promoção : http://www.leya.universia.pt/?cat=1

Anúncios

Chomsky ou a humildade dos bons

15/06/2011

Noam Chomsky é o intelectual vivo mais citado da face da Terra. Não bastasse ter revolucionado para sempre a ciência linguística, o Sr. Chomsky tem sido, durante toda sua vida, exemplo de acadêmico engajado que nunca teve medo de exprimir livremente suas ideias, mesmo nos mais negros períodos da história recente mundial, como a guerra do Vietnã ou o 11 de Setembro.  Diferente de muitos de nós, que se esconde atrás de seu diploma para nunca ter de abordar assunto outro que sua micro-área de sub-área de especialidade, o Sr. Noam Chomsky entrará para os anais da história  como aquilo que uma carreira universitária pode vir a ser se presente estiver o elemento mágico secreto, amiúde ausente do exercício de nossas profissões: a paixão.

Ali G não existe. Trata-se de um personagem criado e interpretado pelo cômico inglês Sasha Baron Cohen que assarapantou o mundo todo com seus filmes Borat e Brüno. O esquete consiste em um repórter totalmente fora dos padrões que utiliza um linguajar, no mínimo, peculiar e que entrevista alguém célebre colocando questões absurdas e repletas de nonsense. Obviamente, como de hábito nas criações do Sr. Cohen, o entrevistado não faz ideia de antemão de que não se trata de uma entrevista séria.

E mais uma vez sobressai o caráter do Sr. Chomsky. Sem mostrar sinais de se enervar, ele responde pacientemente as perguntas de Ali G da forma mais didática possível e sem, em momento algum, ofendê-lo, mesmo quando o suposto repórter erra seu nome, chamando-o de Norman Chompsky. E pensar que há tantos que se ofendem se não forem tratados de Senhor Doutor Professor.

Tentei, na tradução das legendas, recriar a fala de Ali G usando desvios da norma padrão da língua portuguesa que fossem semelhantes aos desvios cometidos pelo personagem. O público julgará se fui feliz em minhas escolhas.

A tempo, ao que tudo indica, fosse brasileiro, o Sr. Chomsky provavelmente mereceria do Ministério da Educação uma sanção por afirmar que todos dominamos muitas línguas. Oras, que ideias revolucionárias essas de tolerar algo diferente da norma padrão!


%d blogueiros gostam disto: